A planta que combate o câncer e a diabetes Recentemente foi descoberta uma planta que é capaz de matar até 98% das células cancerígenas e aliviar os sintomas da diabetes.

Os resultados são incríveis. O responsável por essa descoberta foi o Dr. Frank Shallenberger.

Esse é um investigador que está sempre procurando plantas que interajam com o metabolismo específico das células cancerígenas. Essas plantas deverão ter a capacidade de matar as células doentes, enquanto mantêm intactas as células saudáveis.

Embora o Dr. Shallenberger já tenha achado benefícios em outras plantas como o resverarol, o chá verde, o seanol e outros, nesse artigo nós vamos lhe falar de outra planta que mata o câncer tão eficazmente como a quimioterapia, inclusive no combate ao câncer do pâncreas, um dos mais difíceis de eliminar.

Essa planta é o melão amargo (momordica charantia), conhecido no Brasil como melão de São Caetano. Esse é um vegetal muito comum na Ásia, principalmente na região de Okinawa, no Japão.

O suco desse vegetal tem a capacidade de retardar o crescimento de 4 tipos de cânceres pancreáticos pesquisados, tendo reduzido 2 deles em 90% e os outros dois em 98%, em apenas 72 horas de tratamento.

Uma das formas de eliminar as células cancerígenas é fazer com que elas se suicidem. Esse fenômeno é conhecido como apoptose. O suco do melão amargo foi bastante eficaz em levar esse fenômeno até às células. Ele colapsou o metabolismo de alimentação por glicose das células más, privando elas do açúcar que precisam para a sua sobrevivência.

Na Universidade de Colorado, investigadores aplicaram doses desse produto em ratos, e os resultados foram fantásticos. Os seus tumores reduziram em 64%, sem qualquer efeito secundário. Estes resultados são bem superiores aos que são obtidos hoje em dia com o tratamento da quimioterapia.

O Dr. Rajesh Agarwal ressalvou ainda a tradição chinesa de consumir o melão amargo na prevenção da diabetes. Como a diabetes surge sempre antes de detectarmos o câncer do pâncreas, o doutor associou as duas ideias e achou novos caminhos para a sua investigação.

A Dra. Ratna Ray, da Universidade de Saint Louis, testou o mesmo produto no tratamento de outros tipos de câncer como o da mama, da próstata, da cabeça e do pescoço. Esses cânceres são agressivos e rápidos na sua expansão. Geralmente surgem pela boca, pela garganta e pelo nariz e se espalham rapidamente. Após 4 semanas de tratamento, os tumores diminuíram consideravelmente. A patologista realça que o extrato de melão amargo juntamente com os tratamentos convencionais pode trazer resultados incríveis.

Para além de utilizar essas formas de combate contra o câncer, é recomendado que desintoxique o seu organismo, que elimine infeções dentais e materiais tóxicos dos seus dentes, que alcalinize o seu organismo, que oxide o corpo com terapia e oxigênio e que adquira todo o gênero de nutrientes.

Você também vai gostar:

Publicidade

Be the first to comment

Leave a Reply

Seu e-mail não será publicado.

*